quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

22 Anos Depois: O que aconteceu ao navio Bolama?

A 4 de Dezembro de 2013 passam 22 anos sobre o naufrágio do navio Bolama que vitimou trinta pessoas.  Trata-se de uma das maiores tragédias que ocorreram em Portugal nas últimas décadas - o acidente do avião da TAP no Funchal provocou 131 mortos e a queda da ponte de Entre-os-Rios vitimou 59 pessoas - e a descoberta da verdade continua por apurar. Até hoje ninguém conseguiu explicar porque razão o navio luso-guineense se afundou na saída da barra do porto de Lisboa quando ia realizar uma simples experiência de redes e um almoço a bordo para alguns convidados.
Nas conclusões do Tribunal da Relação de Lisboa pode-se ler "(...) ninguém tem a certeza absoluta do que efetivamente se passou, mas por consulta de desenhos, de estudos anteriores feitos ao navio, por testemunhos de várias pessoas envolvidas nas obras que ao logo do tempo foram feitas ao mesmo, ou que de certa forma colaboraram no seu carregamento, ou que nele viajaram anteriormente, é possível com bastante aproximação à realidade, estabelecer uma ou mais hipóteses que expliquem o naufrágio súbito e repentino como o que, indubitavelmente, ocorreu (...)"
As hipóteses, a incerteza absoluta sobre o que aconteceu, deram lugar a várias teses que sugerem que o navio foi afundado devido à carga que transportava. O arrastão estava prestes a largar para a Guiné-Bissau. Falou-se de armamento nuclear das ex-repúblicas soviéticas, de transporte de urânio, de tráfico de armas, da ação de serviços secretos internacionais mas também aqui mais uma vez não existem provas que sustentem a tese de sabotagem. O que é certo é que o Estado Português nunca demonstrou interesse em apurar o que aconteceu.
 
Homenagem às vitimas no cabo Espichel


Este blog de investigação nasceu com o intuito de contribuir para a descoberta da verdade sobre o naufrágio do navio Bolama. Decorridos oitos meses desde a sua fundação, os autores congratulam-se pelas mais de 32 mil visitas de países de todos os continentes e agradecem as várias pistas que têm sido enviadas e cuidadosamente analisadas.
Mais uma vez, pedimos aos familiares das vitimas ou a quem tenha informações relevantes sobre o naufrágio do Bolama que possam contribuir para o apuramento da verdade que as enviem para o e-mail: investigacaobolama@gmail.com
 
Garantimos o anonimato das nossas fontes de informação.